Anatel autorizou a Claro Brasil usar frequências para telefonia fixa por 20 anos

O Conselho de Administração da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aceitou parcialmente a solicitação da Claro Brasil e prorrogou por 20 anos o direito de uso de radiofrequências associadas à prestação de serviços de telefonia fixa nas faixas de 1,9 GHz.

A agência ajustou a extensão concedendo 20 anos para as faixas de 1.900 a 1.910 MHz; e cinco anos, de 1.980 a 1.990 MHz. A autorização para o operador havia expirado em 8 de fevereiro de 2018.

A justificativa para a expiração é que a parte mais alta do espectro seja alocada para a banda S do Serviço Móvel Global via Satélite, cujos estudos apontam para a ocupação das faixas 1.980-2.025 MHz e 2.160-2.200 MHz.

No debate, o conselheiro da agência, Aníbal Diniz, defendeu que todas as bandas deveriam ter a prorrogação por 20 anos, já que, segundo ele, a implantação da Banda S ainda demandará muitos estudos e tempo.

Diniz também argumentou que o espectro em questão atende cerca de 1,6 milhão de usuários nas regiões Sudeste e Norte e Nordeste.


“Apesar de estar em processo de desuso, a telefonia fixa ainda é o meio de conectividade para muitas pessoas no país”, disse ele.

O presidente da agência, Leonardo Euler Morais, entrou com um voto contra, e reiterou que as características do S Banda impedir a agência de concessão de autorização para as bandas entre 1,980-1,990 MHz por um longo período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *